Escotismo

De Nikkeypedia

"O Escotismo é uma escola de cidadania através da destreza e habilidade em assuntos mateiros."|Robert Baden-Powell, Escotismo para Rapazes, 1908}}

Escotismo ou escutismoPredefinição:Ref, fundado por Lorde Robert Stephenson Smyth Baden-Powell, em 1907, é um movimento mundial, educacional, voluntariado, apartidária, sem fins lucrativos. Criado com a proposta de desenvolver o jovem, por meio de um sistema de valores, que prioriza a honra, baseados na Promessa e na Lei escoteira, e através da prática, do trabalho em equipe e da vida ao ar livre, fazer com que o jovem assuma seu próprio crescimento, torne-se um exemplo de fraternidade, lealdade, altruísmo, responsabilidade, respeito e disciplina.

Conteúdo

[editar] Promessa escoteira

Predefinição:Artigo principal

A saudação da Promessa Escoteira.
A saudação da Promessa Escoteira.

A promessa escoteira sintetiza o embasamento moral do Movimento Escoteiro. No momento da Promessa, os membros do Movimento se comprometem voluntariamente a conduzirem-se de acordo com a orientação moral do Movimento, reconhecendo a existência de deveres que têm de ser cumpridos. Os elementos da Promessa Escoteira estão contidos nos Princípios do Movimento Escoteiro.

Promessa Original

(Versão traduzida escrita por Baden-Powell, em inglês).

"Pela minha honra, eu prometo que farei o meu melhor, para cumprir meu dever para com Deus e o Rei, ajudar os outros em todas as ocasiões e obedecer à Lei Escoteira."

[editar] Lei Escoteira

Predefinição:Artigo principal

Conceitos inerentes à Lei Escoteira

Honra, integridade, lealdade, presteza, amizade, cortesia, respeito e proteção da natureza, responsabilidade, disciplina, coragem, ânimo, bom-senso e respeito pela propriedade, confiança.

Quando Baden-Powell idealizou a Lei Escoteira, decidiu não estabelecer leis proibitivas, mas conceitos para formação de pessoas benévolas, para que, desta forma, o jovem escoteiro tivesse onde se espelhar e pudesse se orientar.

Os dez artigos da Lei Escoteira

(versão traduzida da original escrita por Banden-Powell, seguidos de breves observações feitas pelo próprio) :

1. A Honra, para Escoteiros, é ser digno de confiança.
"A Honra para um Escoteiro é ser digno de toda confiança. Como um Escoteiro, nenhuma tentação, por maior que seja, e embora seja secreta, irá persuadi-lo a praticar uma ação desonesta ou escusa, mesmo muito pequena. Você não voltará atrás a uma promessa, uma vez feita. A palavra de um Escoteiro equivale a um contrato. Para um Escoteiro, a verdade, e nada mais que a verdade." Baden-Powell
2. O Escoteiro é leal ao Rei, à sua pátria, aos seus escotistas, aos seus pais, aos seus empregadores, e aos seus subordinados.
"O Escoteiro é leal à Pátria, à Igreja, às autoridades do governo, aos seus pais, seus chefes, seus patrões e aos que trabalham como seus subordinados. Como um bom cidadão, você é de uma equipe, 'jogando o jogo' honestamente, para o bem do conjunto. Você merece a confiança do governo de sua pátria, do Movimento Escoteiro, dos seus amigos e companheiros de Patrulha, de seus patrões ou de seus empregados, que esperam que você seja correto, fazendo o melhor possível, em benefício deles, ainda quando eles não correspondem sempre bem ao que você espera deles. Além disso, você é leal também a si mesmo; você não quer diminuir seu respeito a si mesmo jogando mal de propósito; nem vai querer decepcionar ou ficar em falta com outro homem, nem, tampouco, com outra mulher." Baden-Powell
 Cartão Postal, demonstrando o espírito, o dever, em ajudar a todos
Cartão Postal, demonstrando o espírito, o dever, em ajudar a todos
3. O Dever para o Escoteiro é ser útil e ajudar o próximo.
"O dever do Escoteiro é ser útil e ajudar a todos. Como Escoteiro, seu mais alto objetivo é servir. Você deve merecer a confiança de que, em qualquer ocasião, estará pronto a sacrificar tempo, trabalho, ou, se necessário, a própria vida pelos demais. O sacrifício é o sal do serviço." Baden-Powell
4. O Escoteiro é amigo de todos e irmão dos demais escoteiros, não importando a que país, classe ou credo o outro possa pertencer.
"É amigo ou irmão, não importando a que país, classe ou credo o outro possa pertencer. Como Escoteiro, você reconhece as demais pessoas como sendo, com você, filhos do mesmo Pai, e não faz caso de suas diferenças de opinião, casta, credo ou país, quaisquer que elas sejam. Você domina os próprios preconceitos e procura encontrar as boas qualidades que tenham; o defeito deles qualquer um pode criticar. Se você põe em prática esse amor pelas pessoas de outros países e ajuda a fazer surgir a paz e a boa vontade internacionais, isto será o Reino de Deus na terra. O mundo inteiro é uma fraternidade." Baden-Powell
5. O Escoteiro é cortês.
"Como os antigos cavaleiros, você, sendo um Escoteiro, é, sem dúvida, polido e atencioso com as mulheres, velhos e crianças. Mas, além disso, você é polido mesmo com aqueles que estão contra você. Aqueles que têm razão, não precisam perder a calma; aqueles que não têm razão, não podem se dar ao luxo de perdê-la." Baden-Powell
6. O Escoteiro é amigo dos animais.
"Você reconhecerá como companheiras as outras criaturas de Deus, postas, como você, neste mundo, durante certo tempo, para gozar suas existências. Maltratar um animal é, portanto, um desserviço ao Criador. Um Escoteiro deve ter um grande coração." Baden-Powell
7. O Escoteiro obedece às ordens dos seus pais, do seu monitor ou do seu chefe escoteiro.
"O Escoteiro obedece, de boa vontade, sem vacilar, às ordens de seus pais, Monitores e Chefes. Como Escoteiro, você se disciplina e põe-se, profunda e voluntariamente, às ordens das autoridades constituídas, para o bem geral. A comunidade mais feliz é a comunidade mais disciplinada; a disciplina, porém, deve vir do íntimo, e nunca ser imposta de fora. Por isso, tem um grande valor o exemplo que você der aos demais nesse sentido." Baden-Powell
8. O Escoteiro sorri e assobia sobre todas dificuldades.
"Como Escoteiro você será visto como o homem que não perde a cabeça e que agüenta qualquer crise com ânimo alegre, coragem e otimismo." Baden-Powell
9. O Escoteiro é econômico.
"Como Escoteiro, você olhará para o futuro e não irá dissipar tempo e dinheiro com prazeres do momento, mas, ao contrário, fará uso das oportunidades do momento tendo em vista o futuro sucesso. Você fará isso com a idéia de não ser um ônus, mas uma ajuda para os demais." Baden-Powell
10. O Escoteiro é limpo no pensamento, na palavra e na ação.
"O Escoteiro é limpo em pensamento, palavra e ação. Como Escoteiro, espera-se que você tenha não só uma mente limpa, como também uma vontade limpa; seja capaz de controlar quaisquer tendências intemperadas do sexo; dê um exemplo aos demais sendo puro, franco, honesto em tudo que pensa, diz ou faz." Baden-Powell


[editar] Princípios do Escotismo

Fogo de Conselho.
Fogo de Conselho.
A Organização Mundial do Movimento Escoteiro define como Princípios do Escutismo
  1. Dever para com Deus (crença e vivência de uma fé, independentemente de qual seja);
  2. Dever para com os outros (participação na sociedade, boa ação, serviço ao próximo);
  3. Dever para consigo próprio (crescimento saudável e auto desenvolvimento).
O Método Escoteiro baseia-se em sete pilares essenciais
  1. Sistema de Valores (condensados na Lei, Princípios, Promessa);
  2. Sistema de Patrulhas (a vida em pequenos grupos de jovens);
  3. Sistema de Progresso (conjunto de propostas de atividades e objetivos organizados em níveis);
  4. Aprender fazendo (educação pela ação);
  5. Contacto com a Natureza (palco privilegiado da ação, contacto com a criação).
  6. Método Projeto (concepção de objetivos, enquadramento imaginário e atividades pelos jovens);
  7. Presença de adultos (irmãos mais velhos que orientam e evitam percalços).
Desenvolvimento físico

Proporcionar o desenvolvimento físico do jovem por meio de jogos ao ar livre, exercícios, excursões e acampamentos.

Desenvolvimento moral

A finalidade é o caráter com um propósito. E o propósito é que essa geração seja sadia no futuro, para desenvolver a mais alta forma de compreensão e dever para com Deus, pátria e próximo.

Desenvolvimento Intelectual

Dá-se uma preparação adequada pelo conhecimento adquirido em cada uma das etapas como cozinha; campismo, nós, natação e salvamento; primeiros socorros; regras de segurança, orientação, transmissão de sinais, estudo da natureza, etc, e também pelas insígnias de Especialidades, que desenvolvem a vocação de cada um dos jovens.

[editar] Lema escoteiro

Predefinição:Artigo principal

Originalmente

(Versão traduzida escrita por Baden-Powell, em inglês).

O lema escoteiro é Be Prepared (esteja preparado), significando que você deve estar constantemente em um estado de atenção mental e corporal para cumprir o seu dever.

  • Esteja preparado mentalmente através de uma disciplina que lhe permita ser obediente a cada ordem, e também pensando de antemão nas situações e acidentes que podem ocorrer, de forma a saber e desejar atuar de maneira correta no momento correto.
  • Esteja preparado fisicamente, tornando-se forte, ativo e capaz de atuar de maneira correta no momento correto.

[editar] História

Ilustração de Robert Baden-Powell, idealizador do Movimento Escoteiro<ref> JAGGER, David. 1929
Ilustração de Robert Baden-Powell, idealizador do Movimento Escoteiro<ref> JAGGER, David. 1929
Na Ilha de Brownsea, no Canal da Mancha, Inglaterra, Baden-Powell realizou um acampamento com vinte jovens, de 12 a 16 anos de idade, no qual ensinou técnicas como primeiro socorros, observação, segurança, orientação, etc. Como símbolo do grupo, levavam aqueles jovens uma bandeira verde com uma flor-de-lis amarela no centro<ref>CARVALHO, Marcos; HUGO, Marcel, Guia Escoteiro, 4.ed. Curitiba: Editare Indústria Gráfica Ltda, 2001.</ref>.

Entusiasmado com os bons resultados deste acampamento, Baden-Powell começou a escrever o livro Escotismo para Rapazes, que foi publicado em 1908, inicialmente como seis fascículos, de janeiro a maio, vendido em bancas de jornal. Em maio do mesmo ano, foi editado como livro com ligeiras modificações.

A recepção das idéias de Baden-Powell foi tanta que, em poucas semanas, centenas de Patrulhas Escoteiras estavam formadas, praticando Escotismo. Rapidamente o movimento se espalhou por vários países do mundo, chegando à América do Sul em 1908, ao Chile.

Em 1909, mais de 10.000 jovens realizaram uma exibição de suas perícias escoteiras no famoso Palácio de Cristal, em Londres. Nem mesmo a chuva e o frio, naquela manhã do dia 4 de setembro, puderam arrefecer o entusiasmo deles. Nesta reunião histórica, os rapazes formavam a maioria.

Temendo a degeneração das suas idéias, e verificando a necessidade de integrar todos dentro de um movimento que crescia rapidamente, Baden-Powell passou a dedicar-se à organização do Movimento Escoteiro, que não era sua proposta original. Desliga-se do Exército, em 1910, e ingressa no que chamou de sua "segunda vida", dedicada ao crescimento e fortalecimento do Escotismo.

Ainda em 1910, é criado o Escotismo do Mar, bem como surgem dentro do Movimento as "Girls Guides", ou seja, as Guias Escoteiras. A partir de 1912, Baden-Powell passa a viajar pelo mundo divulgando e unindo o Escotismo, que se desenvolve agora como uma "Fraternidade Mundial". Também em 1912, foi publicado o primeiro Manual das Guias, "Como as Moças podem ajudar o Império…" escrito por Agnes Baden-Powell.

Foi em 1916 que, a pedido das crianças menores que queriam fazer parte do Movimento Escoteiro, Baden-Powell criou o Ramo Lobinho, baseado no Livro do Jângal, de Rudyard Kipling, com auxílio de sua irmã, Agnes.

Em 1917, é constituído informalmente o primeiro Conselho Internacional da Associação de Guias da Inglaterra, e, no ano seguinte, é publicado o texto base do Guidismo, escrito por Baden-Powell, especialmente para as guias.

O Escotismo recebe de William F. de Bois Mclaren uma área de terra, na floresta de Epping, arredores de Londres, onde se instala Gilweel Parko centro de formação de chefes escoteiros (o curso passa a ser chamado de curso para Insígnia da Madeira. Os que completam o curso recebem um colar de contas e um lenço com um pedaço de tecido atrás com a trama característica do clã dos McLaren). Em 1930, Lady Olave Baden-Powell é aclamada Chefe Guia Mundial, função que exerceu até 1976, quando veio a falecer.

A última presença pública de Baden-Powell para os escoteiros foi em 1937, no Quinto Jamboree Mundial em Vogelezang, Holanda, depois do que viajou para o Quênia, onde fixou residência a partir de 1938 juntamente com Lady Olave. Morre nesse local.

Vigésimo Jamboree, uma demonstração da abrangência do Movimento Escoteiro.
Vigésimo Jamboree, uma demonstração da abrangência do Movimento Escoteiro.
A principal organização representativa internacional é a Organização Mundial do Movimento Escoteiro (OMME), WOSM em inglês. O Escotismo é o maior movimento organizado de educação não-formal. Em setembro de 2005, as estatísticas apontam o Escotismo presente em 216 país e territórios, com um total de 28 milhões de filiados, havendo apenas seis países sem escotismo. Já passaram pelo Movimento Escoteiro mais de 300 milhões de jovens desde a sua criação na Inglaterra. Em 2007, será realizado o Jamboree Mundial do Centenário na Inglaterra.

[editar] Escotismo Modalidade do Ar

A Modalidade do Escotismo do Ar, não foi idealizada pelo fundador, Baden-Powell, das outras duas modalidades, básica e Modalidade do Mar, nem mesmo na Inglaterra, a Modalidade tem sua origem no Brasil.

Dia 28 de abril de 1938, é oficializado o primeiro Grupo Escoteiro da Modalidade do Ar, o Grupo Escoteiro do Ar Tenente Ricardo Kirk, tendo como responsáveis o Major Aviador Godofredo Vidal, o Tenente Coronel Aviador Vasco Alves Secco e o Primeiro Sargento Telegrafista Jayme Janeiro Rodrigues, na época servindo no 5º Regimento de Aviação, atual CINDACTA II, em Curitiba. Em 19 de abril de 1944, foi criada a Federação Brasileira de Escoteiros do Ar, a qual congregava todos Grupos Escoteiros da Modalidade, na época se restringindo aos Estados do Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo.

O Brigadeiro Nero Moura, em 26 de julho de 1951, então Ministro da Aeronáutica, reconhecendo a tamanha expansão registrada e seus valiosos objetivos, entre eles o de incentivar o interesse dos jovens pela aeronáutica, determinou que todas as unidades da Força Aérea Brasileira dessem total apoio à Modalidade do Ar, o que acontece até os dias presentes.

[editar] Escotismo Modalidade do Mar

Em 1908, Baden-Powell pediu a seu irmão, Warrington Baden-Powell que escrevesse um livro para que meninos praticassem o escotismo nas lagoas, nos rios e nos mares como eles haviam feito na infância. No mesmo ano apareceu na Inglaterra a primeira tropa do mar, a tropa Gibraltar. Aperfeiçoado em 1909, foi organizado em 1910 com a publicação do manual para escoteiros do mar, e começaram a surgir mais tropas do Mar na Inglaterra e logo no mundo todo.

[editar] Brasil

Flor-de-Lis da União dos Escoteiros do Brasil.
Flor-de-Lis da União dos Escoteiros do Brasil.
A primeira notícia sobre o Escotismo publicada, no Brasil, foi do dia 1 de dezembro de 1909, no número 13 da revista Ilustração Brasileira, editada no Distrito Federal, no Rio de Janeiro e com circulação nacional. A reportagem tinha o título: Scouts e a Arte de Scutar; ocupava três páginas e apresentava sete fotografias. A matéria fora preparada na Inglaterra pelo 1º Tenente da Marinha de Guerra Eduardo Henrique Weaver, onde se encontrava a serviço. Teve, assim, a oportunidade de presenciar o nascimento do Movimento Escoteiro – Scouting for Boys, criado em 1907 pelo General Inglês Baden-Powell. Na época, juntamente com o Tenente Weaver, encontrava-se na Inglaterra numeroso contingente de Oficiais e Praças da Marinha — preparava-se para guarnecer os novos navios da esquadra brasileira em construção. Um grupo de suboficiais entusiasmou-se com o revolucionário método de educação complementar. Entre eles estava o Suboficial Amélio Azevedo Marques que fez seu filho Aurélio ingressar em um dos Grupos Escoteiros locais. Assim, o jovem Aurélio Azevedo Marques foi o primeiro escoteiro brasileiro. Quando da vinda para o Brasil, os militares trouxeram consigo uniformes escoteiros ingleses, no valor de trinta libras esterlinas. O Encouraçado Minas Gerais, navio onde estava embarcada a maioria dos militares interessados em trazer para o Brasil o Movimento Escoteiro, chegou ao Rio de Janeiro em 17 de abril de 1910. No dia 14 de junho do mesmo ano, na casa número 13 da Rua do Chichorro no Catumbi, Rio de Janeiro, reuniram-se, formalmente, todos interessados pelo escotismo e embarcados nos navios que haviam chegado ao Brasil. Naquele local foi oficialmente fundado o Centro de Boys Scouts do Brasil. O evento foi informado aos jornais, os quais publicaram a carta recebida da Comissão Diretora.

A correspondência enviada começava nos seguintes termos: "À imprensa desta capital, brilhante e poderoso fator de progresso, campeã de todas as idéias nobres, vem o Centro de Boys Scouts do Brasil, solicitar o auxílio de sua boa vontade, o esteio de que necessita para que em todos os lares brasileiros penetre o conhecimento do quanto à Pátria pode ser útil a instrução dos Boys Scouts".

Flor-de-Lis da Associação Escoteira Baden-Powell.
Flor-de-Lis da Associação Escoteira Baden-Powell.
Espalhou-se pelo país, sendo adotado inclusive como proposta educativa governamental. Com o tempo, foi se modificando, em alguns aspectos se adaptando às mudanças da sociedade, por exemplo, passando a aceitar garotas em seus quadros e ampliando a faixa de atendimento para jovens na idade de sete aos 21 anos.

No país, existem duas associações escoteiras: a União dos Escoteiros do Brasil, UEB, fundada em 1924, como resultado da união de diversas associações escoteiras existentes na época (daí o nome "União dos Escoteiros") e filiada à Organização Mundial do Movimento Escoteiro. A União dos Escoteiros do Brasil adota uma organização vertical, definindo parâmetros de ação para as Unidades Locais (Grupos Escoteiros e Seções Autônomas) associadas, através de um programa único, visando maior coesão entre todos os membros.

Em 2007, foi fundada a Associação Escoteira Baden-Powell (AEBP), filiada à Federação Mundial de Escoteiros Independentes, WFIS.

A Associação Escoteira Baden-Powell é uma associação que adota uma organização horizontal, ou seja, cada Unidade Local tem autonomia para praticar o escotismo da maneira que entender como a mais acertada para a comunidade na qual está inserida, podendo tanto utilizar um programa modernizado, quanto se basear, assim como o escotismo, no livro Escotismo para Rapazes.

[editar] Modalidade do Mar no Brasil

Predefinição:Artigo principal

A Modalidade do Mar no Brasil não foi diferente das de outras nacionalidades, as práticas de atividades náuticas, as sedes escoteiras dentro de Clubes Navais, as tropas mantidas pela Marinha ou com Chefes que eram marinheiros, os ambientes aquáticos para atividades constantes eram comuns desde 1910, porém não foram organizados como modalidade, semelhante ao ocorrido na Inglaterra, inicialmente.

Em 1910, no Encouraçado Minas Gerais, chegavam ao Brasil oficiais da Marinhade Guerra, que traziam os primeiros manuais escoteiros (em inglês), uniformes e os primeiros escoteiros brasileiros, filhos de alguns desses sub oficiais (estes que haviam feito suas promessas na Inglaterra). O comandante desse navio chamava-se Amélio de Azevedo Marques, e junto com os demais marinheiros foi o introdutor do Escotismo no Brasil. Estes marinheiros assim que chegaram no Rio de Janeiro abriram uma tropa escoteira no bairro do Catumbi, próximo do sambódromo de hoje, na Rua do Chichorro número 13 (existe na fachada da casa uma placa alusiva à fundação deste grupo, hoje extinto).

Em 1938, adquiriam os Escoteiros do Mar a sua primeira Base Naval própria localizada no Porto de Maria Angu.

Em Setembro de 1941, a Modalidade foi anexa à União dos Escoteiros do Brasil.

Hoje a Modalidade abrange grande parte do território nacional.

[editar] Portugal

Em Portugal, o escutismo surge via Hong Kong e Macau em 1911, sendo constituída a Associação dos Escoteiros de Portugal em 1913, e em 1923 o Corpo Nacional de Escutas — Escutismo Católico Português. Por esta associação, chega às então províncias ultramarinas portuguesas: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

As ditaduras comunistas, ocupações militares e situações de guerra civil que dominaram estes países nos cerca de 20 anos após as respectivas independências foram responsáveis pelo quase desaparecimento do Escutismo nesses países, tendo, no entanto, ressuscitado em força após o colapso da União Soviética, estando hoje em franco desenvolvimento, ajudado pelas associações congêneres portuguesas e brasileiras.

Os regimes totalitários nunca se deram bem com o Escutismo, que apregoa a responsabilidade individual, a democracia e a paz. O Escutismo foi suprimido em todas as ditaduras comunistas, bem como na maior parte das ditaduras de outro cariz, como por exemplo, na Espanha falangista, na Alemanha nazi, na Itália fascista, etc.

Em Portugal, o Movimento Escutista chegou a ser suprimido pela ditadura de António de Oliveira Salazar, mas a pronta intervenção do Arcebispo de Braga Dom Manuel Vieira de Matos, fundador do Corpo Nacional de Escutas, permitiu que se voltasse atrás nesta decisão, o que salvou tanto o Corpo Nacional de Escutas como a AEP de sofrerem o mesmo destino das suas congêneres espanholas. O Escutismo em Portugal, embora com limitações e a concorrência da associação juvenil estatal, continuou a cumprir a sua missão educativa.

[editar] Ramos de atividade ou secções

Os jovens são divididos conforme a faixa etária em vários ramos ou secções descritos abaixo. Cada ramo possui um programa de desenvolvimento e de atividades apropriados à idade e ao desenvolvimento mental, intelectual, espiritual, físico e social do jovem.

[editar] No Brasil

A Seção é a unidade do Movimento Escoteiro, que congrega membros do mesmo Ramo<ref> UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL. Diretoria Execultiva Nacional P.O.R. Princípios, Organização e Regras, Regra 013 - Ramos, 8ª edição, Curitiba-PR, janeiro de 2006 </ref><ref> UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL. Diretoria Execultiva Nacional P.O.R. Princípios, Organização e Regras, Regra 026 - Seções, 8ª edição, Curitiba-PR, janeiro de 2006 </ref>.
  • Ramo Lobinho: para meninos e meninas de sete a dez anos. Seção: Alcatéia de lobinhos, Alcatéia de lobinhas, ou Alcatéia mista. São chamados de Lobinhos, divididos em Matilhas (grupos de quatro a seis Lobinhos). Trabalha-se a fantasia, utilizando como fundo de cena a História do Livro do Jângal (Mogli, o menino lobo);
  • Ramo Escoteiro: para rapazes e moças de 11 a 14 anos. Seção: Tropa de escoteiros, Tropa de escoteiras ou Tropa escoteira mista. São os Escoteiros, divididos em Patrulhas (grupos de seis a oito Escoteiros). Trabalha-se a aventura, através da vida ao ar livre;
    Exemplo de atividade, rapel e escalada.
    Exemplo de atividade, rapel e escalada.
  • Ramo Sênior: para rapazes e moças de 15 a 17 anos. Seção: Tropa de seniores, Tropa de guias ou Tropa sênior mista. São os Seniores e Guias Escoteiras, divididos em Patrulhas (grupos de quatro a seis Seniores e Guias). Trabalha-se com o desafio aos limites, tanto físico, quanto intelectual, social e espiritual;
  • Ramo Pioneiro: para rapazes e moças de 18 a 21 anos. Seção: Clã Pioneiro. São os Pioneiros, que se organizam em Equipes de Interesse, com quantidade variável de jovens. Tem como objetivo trabalhar o serviço ao próximo, como forma de melhorar a sociedade em que vivemos.

Os adultos participam de diversas formas. Podem ser Escotistas, que coordenam as atividades com os jovens; na U.E.B., Dirigentes Institucionais, que dirigem os Grupos Escoteiros e Regiões Escoteiras (estaduais); ou ainda Dirigentes de Formação, que se ocupam da orientação e formação de outros adultos.

Os ramos são os mesmos aplicados pela U.E.B. e sugeridos pela AEBP. As Unidades Locais Associadas à AEBP são livres para definir os parâmetros dos ramos, podendo adaptá-los para o programa utilizado. Existem, por exemplo, Grupos Escoteiros onde o Clã Pioneiro congrega membos com idades entre 18 e 26 anos.

[editar] Modalidades do Escotismo no Brasil

As modalidades do escotismo, no Brasil, são constituídas de três formas existentes que são a básica, a Modalidade do Mar, a Modalidade do Ar e uma quarta, que caiu em desuso a Modalidade Ferroviária. São adotadas pelos grupos escoteiros de forma a guiar as atividades dos grupos e formação dos seus membros, entretanto o grupo quanto assume uma modalidade não fica restrita a essa e nem é impedida de realizar as atividades típicas das demais modalidades.<ref> UNIÃO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL. Diretoria Execultiva Nacional P.O.R. Princípios, Organização e Regras, Regra 014 - Modalidades, 8ª edição, Curitiba-PR, janeiro de 2006 </ref>


Modalidade Básica

A Modalidade Básica, caracterizada pelo escoteiro típico, sendo a modalidade com o maior número de integrantes, apresenta grande flexibilidade de atividades e com formação geralmente mais voltada para a atividade excursionista, campismo e montanhismo.

Um toldo sustentado por um observatório uma demonstração de pioneiria.
Um toldo sustentado por um observatório uma demonstração de pioneiria.
Os acampamentos exigem inúmeras técnicas escoteiras, dentre elas a que se destaca é a pioneiria, uma forma de suprir a necessidade de móveis e como um modo de proteção, normalmente constituídas por troncos de madeira e unidas através de amarras.


Modalidade do Mar
Escoteiros praticando canoagem.
Escoteiros praticando canoagem.
O que caracteriza o Escotismo Modalidade do Mar é que eles realizam suas atividades preferencialmente na água, onde quer que exista água em quantidade e profundidade suficientes para que uma embarcação possa navegar, seja ela de que tipo for. Sendo assim podem existir Escoteiros do Mar, seja esta água de mar, de rio, lago, lagoa ou pantanal. Procurando desenvolver nos jovens o gosto pela vida no mar, pelas artes e técnicas marinheiras, pela navegação à vela e a motor, pelas viagens e transportes marítimos, pela pesca, pelo estudo da oceanografia, pela exploração e pelos esportes náuticos, incentivando o culto das tradições da marinha. A gama de atividades que podem ser realizadas é enorme, indo da tradicional navegação a remo até mergulho ou windsurf.


Modalidade do Ar

O Escotismo Modalidade do Ar procura desenvolver nos jovens, além dos valores da Modalidade Básica, o gosto pelo aeromodelismo, aeroplanos, pelos problemas de aeroportos, aeronavegação, aeropropulsão, pelo pára-quedismo e pelos esportes aéreos, pelo estudo da meteorologia e da cosmografia, pelo mundo aeroespacial e pela cosmonáutica, incentivando o culto das tradições da aeronáutica do país. As ênfases educativas das Modalidades do Ar e Mar, são apenas desenvolvidas nos Ramos Escoteiro e Ramo Sênior.


Modalidade Ferroviária (extinta, caiu em desuso)

O Escotismo Ferroviário surgiu no Brasil, na década de 1920-1930. Previa-se a instalação de Grupos Escoteiros nas estações de trem, urbanas ou suburbanas.

Alguns grupos foram abertos no Rio de Janeiro e em Minas Gerais, nos ramais da Estrada de Ferro Central do Brasil. Ao que parece, tiveram vida curta, com exceção do RJ/GE Alcindo Guanabara (antes nomeado Grupo Light, por ser patrocinado por aquela empresa de energia elétrica do Rio). Esse GE existiu no período de 1926 (mais ou menos) até a década de 90.

Um dos seus expoentes era o Chefe Gabriel Skinner, Tapir de Prata, e de grande atuação no escotismo nacional nas décadas de 1930-40.

Fazendo uma visita ao site da Fundação Getulio Vargas. Existem duas fotos disponíveis para baixar. Mostram os escoteiros formados e o Senador e ex-presidente da UEB, Napoleão de Alencastro Guimarães passando a tropa em revista.

O CCME (Centro Cultural do Movimento Escoteiro), no Rio de Janeiro, tem um desenho tipo "croquis" dos lobinhos ferroviários e talvez tenha alguma coisa a mais, mas essa parte do acervo não está organizada.

Informação cedida por Maurício Moutinho do CCME

[editar] Em Portugal

Associação das Guias e Escuteiros da Europa - Portugal

Todos os Ramos (Amarelo, Verde e Vermelho) estão divididos por sectores: Guidista (Feminino) e Escutista (Masculino).

  • Ramo Amarelo: Clareira ou Alcateia: dos 8 aos 12 anos. São chamados de Lobitas(os), divididos em Bandos (Branco, Cinzento, Negro e Castanho), que são compostos por seis elementos. Todos os ensinamentos giram à volta da história de Mowgli, criada por Rudyard Kipling, em O Livro da Selva.
  • Ramo Verde: Companhia ou Tribo: dos 12 aos 17 anos. As Guias e os Escuteiros estão divididos em Patrulhas, cada uma com 5 a 8 elementos. Cada Patrulha tem o seu totem e grito, chefe de patrulha e santo patrono. As Guias e Escuteiros regem-se pela sua Lei e Princípios da Federação do Escutismo Europeu, assim como pelo Escutismo Para Rapazes de Sir Robert Baden-Powell.
  • Ramo Vermelho: Fogo ou Clã: a partir dos 17 anos. As Guias-Mais-Velhas e os Caminheiros estão divididos em Fogos ou Clãs, que se agrupam a nível das províncias. Vivem uma vida de serviço escutista, laica e religiosa.
Associação de Escoteiros de Portugal
  • Alcateia: seis aos 10 anos. São chamados de Lobitos, divididos em Bandos (grupos de quatro a seis Lobitos). Trabalha-se a fantasia, com base na História do Livro da Selva (Mogli, o menino lobo);
  • Tribo de Escoteiros (Júnior): onze aos 13 a 14 anos. São os Escoteiros (segundo a nova denominação) ou Juniores, divididos em patrulhas de seis a oito jovens. Cada patrulha tem um animal como totem, respondendo pelo nome do mesmo. A mística da Tribo é baseada principalmente nas tribos africanas. O período por que estes jovens passam é crucial no desenvolvimento do carácter pessoal de cada um, tentando-se assim dar uma formação complementar no que toca à independência do indivíduo, mas nunca descuidando a importância da comunicação e cooperação com as restantes pessoas no seu meio. Trabalha-se a aventura, através da vida ao ar livre;
  • Tribo de Exploradores (Sénior): 14 a 15 anos. São os Exploradores (segundo a nova denominação) ou Séniores, divididos em patrulhas de seis a oito elementos. Bastante semelhante à Tribo Júnior no que diz respeito à mística e ao desenvolvimento psicológico, este último foca-se mais, neste caso, no autoconhecimento, na aceitação e aprimoramento das características pessoais, no aperfeiçoamento das capacidades sociais e também num desenvolvimento físico saudável. Trabalha-se com o desafio aos limites, tanto físico, quanto intelectual, social e espiritual;
  • Clã: 16 a 18 aos 22 anos. São os Caminheiros, que se organizam em equipas de quatro a oito elementos. Têm como objetivo trabalhar o serviço ao próximo, como forma de melhorar a sociedade em que vivemos. Cada equipa escolhe uma área de preferência (por exemplo, espeleologia, orientação, Internet, etc.), sendo que os seus trabalhos se focam na mesma. Geralmente, os caminheiros adotam o nome de uma personagem histórica, de acordo com a área que a sua equipa está a desenvolver.
Corpo Nacional de Escutas
  • Alcateia: sete aos dez anos. São chamados de Lobitos, divididos em Bandos (grupos de quatro a seis Lobitos). Tem como patrono São Francisco de Assis;
  • Grupo Explorador (Corpo Nacional de Escutas) ou Flotilha (Corpo Nacional de Escutas — Marítimos): dez aos 14 anos. São os Exploradores ou Moços, divididos em Patrulhas ou Tripulações de seis a oito jovens. Trabalha-se a aventura, através da vida ao ar livre. Tem como patrono São Jorge;
  • Grupo Pioneiro (Corpo Nacional de Escutas) ou Frota (Corpo Nacional de Escutas — Marítimos): 14 a 15 aos 17 a 18 anos. São os Pioneiros ou Marinheiros, divididos em patrulhas ou equipagens (patrulhas ou equipagens de seis a oito). Trabalha-se com o desafio aos limites, tanto físicos, quanto intelectuais, sociais e espirituais. No Corpo Nacional de Escutas, tem como patrono São João de Brito;
  • Clã Comunidade (Corpo Nacional de Escutas — Marítimos): 18 aos 22 anos. São os Caminheiros ou Companheiros, que se organizam em equipas ou companhias de quatro a oito elementos. Tem como objetivo trabalhar o serviço ao próximo, como forma de melhorar a sociedade em que vivemos. No Corpo Nacional de Escutas, tem como patrono São Paulo.

[editar] Conjuntura

Apesar do número de Escoteiros parecer elevado em números absolutos, é pouco relevante se analisado demograficamente.<ref>OMME algumas estatísticas, 2006.</ref>

Considerando os benefícios do Escotismo o número de atendidos poderia ser muito maior, quem lê os documentos escritos por Baden-Powell compreende que ele foi um homem de vanguarda na educação, há um século atrás ele já defendia muito do que hoje é considerado como novidade na educação: vida e trabalho em pequenos grupos, liderança e o uso da ludo educação (jogos), definição de objetivos, importância do exemplo como principal educador são apenas uma amostra dentre sua obra.

O escotismo brasileiro é formado por duas instituições: a União dos Escoteiros do Brasil (UEB), dividida em escritórios regionais distribuídos por diversos estados da federação, com alguns poucos profissionais remunerados para administrar 45 mil voluntários distribuídos por unidades locais de atuação: os Grupos Escoteiros e as Seções Autônomas. Nestas Unidades Locais, através dos voluntários, é que se colocam em prática os programas educacionais para jovens.

Em 2007, foi fundada a Associação Escoteira Baden-Powell (AEBP), filiada à WFIS-SA, para oferecer uma alternativa aos escoteiros brasileiros. A Associação Escoteira Baden-Powell tem como fundamentos uma organização horizontal, política de não intervenção nas Unidades Locais, eleições diretas em todos os níveis com voto secreto e majoritário, entre outros.

Em Portugal, o Corpo Nacional de Escutas e a Associação dos Escoteiros de Portugal agrupam-se na Federação Escutista de Portugal, que é a associação reconhecida pela Organização Mundial do Movimento Escoteiro. Apesar da enorme diferença de tamanho (o Corpo Nacional de Escutas, com 75 mil jovens, é 37 vezes maior que a Associação dos Escoteiros) e de implantação (a Associação dos Escoteiros concentra-se na zona da capital Lisboa) o relacionamento é próximo e muito cordial.

Ambas as associações estão divididas em regiões, parecidas mas não coincidentes, uma vez que as regiões do Corpo Nacional se baseiam nas dioceses católicas e a Associação dos Escoteiros nos distritos civis. No Corpo Nacional, as regiões maiores (Braga, Porto, Coimbra, Lisboa) estão divididas em Núcleos.

Todos os adultos que trabalham com jovens são voluntários. Em Portugal, a freqüência de cursos é obrigatória antes do adulto ser dirigente. Muito mais do que apenas fornecer atividades, o objetivo dos dirigentes é acompanhar os jovens no seu crescimento, permitindo a estes realizarem as atividades de que gostam, e aprendendo e desenvolvendo-se no processo.

Predefinição:Quote1

[editar] Notas

Predefinição:Nota Predefinição:Notalingua

[editar] Referências

[editar] Citações

<references />

[editar] Predefinição:Ver também

[editar] Curiosidades

[editar] Leituras adicionais

[editar] Predefinição:Ligações externas

Predefinição:Correlatos

Páginas em português
Páginas em inglês

Predefinição:Artigo destacado Predefinição:Link FA Predefinição:Link FA Predefinição:Link FA Predefinição:Link FAPredefinição:Link FA Predefinição:Link FA ja:ボーイスカウト


[editar] Predefinição:Ligações externas


[editar] Veja também

Ferramentas pessoais