Cosplay

De Nikkeypedia

Cosplayers do Anime InuYasha
Cosplayers do Anime InuYasha
Nissan Skyline "Itasya"
Nissan Skyline "Itasya"

Cosplay abreviação de "costume player" (Fantasia em inglês) é uma atividade que surgiu nos Estados Unidos da América em convenções de quadrinhos na decada de 70, quando fizeram uma promoção onde as pessoas com fantasias de Super-herois entrariam de graça. Com o passar do tempo foi se tornando uma tradição e um habito que se espalhou por todos os tipos de convenções envolvendo series ou personagens, principalmente as de "Jornada nas estrelas "Star Trek e "Guerra nas estrelas "Star Wars, aonde as pessoas fantasiadas se tornaram a principal atração com concursos de fantasia e interpretação de cenas dos filmes ou episodios revelando talentos de nivel profissional. Ra rapidamente se espalhou pelo mundo todo, chegando na na Comiket, famosa convenção realizada há anos no Japão aonde o termo se popularisou e se espalhou especialmente em eventos e encontros de anime, mangá e videogames, respectivamente as animações e quadrinhos japoneses. Outros dizem que começou

Caracteriza-se pelo 'DIY' (Do it yourself - faça você mesmo): o futuro cosplayer (palavra utilizada para designar a pessoa que pratica o cosplay) providencia os materiais para a confecção (alguns mandam determinadas peças a artesãos ou costureiras, ou fazem seus cosplays inteiramente em "Cosplay Stores" - lojas especializadas em confecção de cosplays), prepara os materiais de referência, monta a apresentação (caso haja), enfim, trabalha a interpretação, o figurino e às vezes até o cenário.

A palavra 'cosplay' é uma espécie de abreviação para "costume play" (costume = roupa / traje / fantasia e play = atuar). Ou seja, o cosplayer se caracteriza como um personagem de algum livro, mangá, jogo ou filme que queira homenagear; representa a personalidade deste; e em alguns eventos pode até mesmo competir com outros cosplayers em concursos, embora o grande barato e diversão sejam a exposição e o contato social gerado dentro do ambiente. UM dos principais objetivos deste Hobby é fazer amigos.

É uma atividade da qual podem participar e divertir-se crianças, adolescentes e adultos de todas as idades, sexo e condição social. Alguns cosplayers chegam a gastar entre R$ 100,00 (36 €) e R$ 1.000,00 (360 €), às vezes mais, em roupas e acessórios, e levam a coisa a sério. Um hobby como outro qualquer, porém um hobby que permite a você tornar-se seu personagem favorito por um dia. Nas gerações Star Wars, equivaleria a se vestir como um Jedi ou um Cowboy de Faroeste.

No início, os únicos cosplays eram de personagem de Star Wars como os Stormtroopers; mas logo os animês e mangás foram tomando conta do público. Hoje, no Brasil, já se vêem cosplays de qualquer mídia, entre elas comics, filmes, livros e até personagens de internet.


Conteúdo

[editar] Cosplay no Brasil

Os cosplayers começaram em eventos de jornada nas estrelas e RPG' no final da decada de 1980, depois se popularizaram em convenções de animê e mangá no final da decada de 1990. Observa-se também uma tendência de usar cosplays em lançamentos de filmes ou livros, como por exemplo, Harry Potter ou Piratas do Caribe.

Existem competições e concursos, com direito a prêmios para os vencedores. Os principais concursos de Cosplay do país são os concursos de cosplay da Yamato Comunicações e Eventos, uma empresa especializada em eventos de animação japonesa no Brasil. A Yamato tem o maior concurso devido à uma parceria com a Editora JBC, uma editora de mangás, e a televisão japonesa Aichi, que levaram pela primeira vez em 2006 uma dupla de cosplayers brasileiros ao World Cosplay Summit, ou WCS. Como se não bastasse, os brasileiros levaram o título de melhores cosplays do mundo em 2006 em sua primeira participação no concurso. A edição de 2007 já está em andamento.

Paralelo ao WCS, a Yamato também realizou pela primeira vez um concurso nacional de cosplays, chamado de Yamato Cosplay Cup YCC. Campeonatos regionais são realizados nos principais eventos do país, escolhendo um representante regional ou estadual para o concurso principal, que acontece no Anime Friends, maior evento de animação da américa latina.

[editar] Cosplay Em Portugal

A primeira vez que se ouviu a palavra cosplay em território português foi em 1997, quando alguns fãs da cultura japonesa decidiram caracterizar-se como as suas personagens preferidas de anime, manga e videojogos e como os seus ídolos de j-music. Enquanto isso, o cosplay dava já largos passos pelo mundo fora arrastando consigo uma legião de fãs na América, Ásia e Europa. Desde 1997 até aos dias de hoje, já muita coisa mudou.

Os eventos de cosplay aumentaram. Já se realizam de norte a sul do país quando, em 1997, apenas se realizava em Lisboa e apenas uma vez por ano, e é visto por muitos pais como um hobby saudável e enriquecedor devido ao facto de os cosplayers terem que criar os seus próprios fatos realizando, muitas vezes, verdadeiros actos de engenho e criatividade. O cosplay é visto pelos pais também como uma alternativa a outras formas de entretenimento dos filhos, como o computador e a televisão. Alguns críticos, no entanto, discordam da existência de benefícios do cosplay e afirmam que é uma perda de tempo e dinheiro, sendo que muitos consideram o cosplay "uma coisa de crianças".

Por seu lado, os defensores do cosplay afirmam que este é hoje em dia mais do que um hobby, considerando o cosplay uma forma de arte através da qual os cosplayers podem expressar o seu afecto por determinados tipos de personagens, vestindo-se e agindo como elas por um dia. Argumentam ainda que o cosplay permite conhecer pessoas novas e criam novas amizades, considerando-o também como uma boa forma de os mais tímidos tornarem-se mais sociáveis, extrovertidos e confiantes em si mesmos. Tanto adultos como crianças podem participar porque não há limite de idades, ou seja, se pais e filhos fizerem cosplay podem entre ajudar-se, fortalecendo o laço existente entre ambos e estimulando a criatividade porque têm que pensar sobre como irão fazer aquele tipo de roupa ou acessório mais rebuscado, que ninguém ousa fazer. Mas acima de tudo, o que dizem ser mais importante é a diversão, tanto na manufactura dos fatos como no seu uso, considerando-a a razão principal por se ver, cada vez mais, o grupo de cosplayers portugueses a aumentar de evento para evento.

Não só os pais se estão a aperceber das coisas boas que advêm de se fazer cosplay, incentivando os seus filhos a participar, como também outros menos jovens decidem juntar-se ao grupo devido a comentários que ouvem através dos seus colegas, amigos e até mesmo vizinhos. Alguns decidem primeiro acompanhar os seus amigos para verem como funcionam as coisas, para saber se gostam, se não gostam. Outros vão por iniciativa própria e até mesmo por curiosidade. Mas, no final, muitos são os que dizem entusiasmados que irão participar no próximo evento de cosplay.

Alguns reclamam a criação de uma associação/comunidade para os cosplayers onde se abordem temas como a localização dos eventos e os transportes; dúvidas, esclarecimentos e sugestões sobre os fatos que estão ou vão fazer, assim como o material (qualidade, preço, locais onde se encontram à venda), a criação de formas de irem todos juntos, dependendo da área onde moram e ainda coordenação de pedidos de apoio ás câmaras municipais; meets e outros temas.

[editar] Toscosplay

Toscosplay é a arte de fazer cosplay tosco, cosplays engraçados cujos os donos tiveram a intenção de fazê-los engraçados. A palavra é a junção de duas outras: a portuguesa "tosco" e a inglesa "cosplay", resultando daí uma nova classificação para o segmento das fantasias baseadas em desenho japonês.

Nesse segmento, o acabamento da fantasia não é o mais importante, mas sim a intenção, a originalidade, a irreverência. As fantasias podem ser feitas com materiais pouco nobres, como papelão e celofane ou bons materiais mas com personagens impensados como os cubinhos dos jogos de tetris.

Assim como o carnaval, com seus arlequins e columbinas, o ato de fazer cosplay, e também toscosplay, é um fenômeno sociológico com uma nova roupagem, adaptado aos dias modernos, a era tecnológica, mas que ainda assim relembra velhos hábitos do ser humano, como as festas populares, mas como já citado, acompanhando o contexto em que o homem vive.

O termo teve origem em um fotolog[1] de mesmo nome que data de Janeiro de 2004 e ainda continua em atividade. A partir daí, torno-se referência para os apreciadores de cosplay mal acabados mas, por sua própria natureza, extremamente bem-humorados.

[editar] Predefinição:Ligações externas

Predefinição:Commons

Predefinição:Esboçoja:コスプレ

Ferramentas pessoais